Avançar para o conteúdo principal

A arte de treinar com o que se tem à mão!

Boa tarde a todos,

Quem leu o post introdutório deste blog, sabe que eu não frequento o ginásio, treino seriamente há quase 4 anos em casa, na rua ou em qualquer outro local com aquilo que tiver à mão.

É precisa alguma imaginação mas basta pensar em algo que anda sempre connosco (pelo menos comigo é assim), o nosso corpo e nos vários movimentos e exercício que podemos fazer com o objectivo de nos mantermos em forma.

Para quem tem o objectivo de ser fisioculturista, efectivamente não o vai conseguir apenas treinando em casa a não ser que tenha uma vasta colecção de alteres, pesos e barras porque o aumento da massa muscular implica muito treino com muito ferro!

Agora para quem quer estar em forma, ter um corpo fit, ser mais saudável e chegar a tempo ao WC em caso urgência, efectivamente treinar em casa é suficiente.

Temos que ter em mente que seja no ginásio ou fora dele, mudar visivelmente o nosso corpo custa muito e requer muito esforço, disciplina, dedicação e suor até porque os resultados são lentos a aparecer e até lá podemos cair no risco de perder a motivação.

Quem não gosta muito de fazer exercício ou tem dificuldade em automotivar-se, é mesmo melhor procurar um ginásio, fazer aulas de grupo ou treinar acompanhado pois treinar sozinho só vai piorar as coisas.

Eu moro e trabalho em Lisboa mas nestes dias tenho estado na terra que me viu nascer, Mangualde. Como não podia deixar de ser, mesmo fora de casa o treino continua e mesmo sem ter os equipamentos que tenho em casa, encontro sempre uma solução para puxar pelos músculos, queimar calorias e suar muito.

Hoje fiz um treino ao ar livre em que coloquei uma cepo no chão (adoro cepos) e fiz burpees (começar na posição em pé, colocar as mãos no chão e passar à posição de prancha, fazer uma flexão e voltar à posição em pé. Um dia deste partilho convosco como se faz um burpee perfeito) e no final de cada burpee dava um salto lateral de modo a passar para o outro lado do cepo. Fiz este movimento durante 20 minutos. No final de 100 repetições estava completamente morto (parecendo que não são 100 flexões mais o resto), completamente suado e completamente satisfeito com um treino saudável onde apanhei sol e ar puro.

Depois ainda fiz alguns agachamentos em que em cada agachamento fazia um pequeno pulo para a frente de modo a aproveitar todo o espaço que se tem a vantagem de ter ao ar livre e concluí com alongamentos. Já sei que amanhã vou estar todo dorido depois deste treino funcional e que pelo menos durante 24 horas vou continuar a gastar calorias enquanto recupero.

Para além disso, uma corrida de acordo com o que expliquei no meu ultimo post http://blogricoemproteina.blogspot.pt/2017/03/corrida-sem-ser-para-apanhar-o-autocarro.html é sempre uma boa solução e basta sair à rua e correr. Para aumentar a dificuldade podem assaltar um banco ou dar um chuto num enxame de abelhas antes de iniciar a corrida.

Saudações proteicas! 



Comentários

  1. olá Rafael, adorei o teu post e com tanto exercicio fisico até eu já estou cançada, mas amei o ultimo parágrafo.... beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado! Um dia destes ainda fazes a viagem para Portugal a pé. Beijinhos

      Eliminar
  2. Rafa, cada post é melhor que o outro... adoro a tua forma de escrever com humor e boa disposição. Que venha o próximo post, devias postar um vídeos dos treinos.

    ResponderEliminar
  3. Obrigado pelas sugestões Ana. Ainda bem que tens gostado. Já publiquei um novo post e já estou a pensar nos vídeos.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Comprei uma SmartBand: prós e contras

Olá a todos,
    Durante os meus treinos de corrida já costumo utilizar uma aplicação de monitorização (Sports Tracker) que mede a distância por GPS, a velocidade média e instantânea e faz também uma estimativa da quantidade de calorias gastas entrando em linha de conta com o peso, idade e altura que definimos na aplicação. Para além disso, a aplicação também permite fazer a monitorização da frequência cardíaca desde que associada a uma banda cardíaca ligada ao Smartphone através de Bluetooth. 
   Por curiosidade e também para tentar fazer treinos mais produtivos pesquisei algumas alternativas para controlar a frequência cardíaca como relógios de desporto com e sem GPS integrado, bandas cardíacas Bluetooth para ligar ao Smartphone, Smart Watches e SmartBands tendo tirado as seguintes conclusões:
As bandas cardíacas com Bluetooth são o equipamento mais preciso para medir a frequência cardíaca durante o treino mas como têm que se colocar à volta do peito considero-as um pouco descon…

Um update da minha vida!

Olá família proteica!

Não fiquem assustados porque não é nenhuma alma penada que está a escrever este post. Embora não dê notícias há algum tempo, ainda não faleci e encontro-me de boa saúde.

É só pedir!
Para quem não sabe, regressei à minha terra natal (Mangualde) no final de 2017, após 11 anos a morar em Lisboa, onde me licenciei em Medicina Nuclear e trabalhei na área da Banca durante cerca de 5 anos.

Para quem tem curiosidade em perceber melhor esta mudança repentina basta ler o post no link.

Se mudar pequenas coisas já custa, mudar completamente de vida custa ainda mais, mesmo que seja para melhor.

Sempre tive o sonho que criar o meu próprio emprego e poder um dia dar emprego a outras pessoas mas era uma ideia que estava apenas na minha cabeça de forma muito pouco concreta.

Assim que regressei comecei a procurar emprego aqui na zona de Mangualde, Viseu e arredores sempre com a ideia de que não voltaria a trabalhar em algo que me fizesse mal como me fez trabalhar durante 5 anos em …

Era uma vez uma parceira de treino chamada gripe

Olá a todos,

Sei que já há algum tempo que não dou notícias nem aqui nem na página do facebook e só tenho dado sinal de vida no Instagram.
Para além disso era suposto este post ser a continuação da série "Treinar em casa" com vídeos incluídos, mas parece que desta vez não foi a gripe que apanhou Rafael Gomes mas sim o contrário. 
Estive uns dias com febre, tosse, mal-estar geral e como tenho alguns problemas respiratórios, embora já não tenha febre, continuo com uma tosse bastante irritativa. Moral da história: há uma semana que não treino...
Se há alguma vantagem em estar doente é que se acaba por perder algum peso porque embora no meu caso não tenha perdido o apetite, perdi completamente o paladar, o que me tem tirado completamente o prazer de comer
Relativamente ao treino, eu tenho por hábito fazer duas ou três pausas por ano de cerca de uma semana porque sinto que é importante para a minha evolução, principalmente porque me permite recuperar o Sistema Nervoso Central q…