Avançar para o conteúdo principal

Para o infinito e mais além!

Para o infinito e mais além! Já dizia o grande filósofo Buzz Lightyear em Toy Story.

Não tenho treinado tanto quando deveria e gostaria mas, na tentativa de conciliar o meu programa de treino com a minha nova vida de empresário, hoje foi dia de pernas (100m de sprint, agachamentos e lunges num total de 4 séries).

Não parece muito difícil mas acreditem que dá para ter umas boas experiências de quase morte, daquelas em que vemos a nossa vida toda a passar à frente dos olhos e que nos fazem repensar bem o que queremos para nós. (Sei que neste momento os leitores que estavam a pensar começar a fazer exercício já desistiram porque a verdade é que deve ser bem melhor morrer deitado no sofá!).

Se forem da zona de Viseu ou se passarem por cá e quiserem experimentar digam alguma coisa!

A verdade é que para estar em forma não é preciso treinar muito mas é sem dúvida preciso treinar bem. Eu pessoalmente costumo fazer 3 ou 4 treinos por semana com duração que pode variar entre os 20 e os 40 minutos mas acreditem que nesse tempo o meu espírito abandona o corpo 3 ou 4 vezes.

É tudo uma questão de intensidade! É claro que quem começar hoje a treinar não pode nem consegue fazer um treino com a intensidade de quem treina há umas semanas, meses ou anos, mas a filosofia deve ser a mesma para todos - quebrar os nossos limites e quando não aguentarmos mais, fazer mais 5.

Imaginem que estão a fazer flexões (imaginar não conta como fazer mesmo flexões por isso não vale a pena irem já ver-se ao espelho), fazem 3 sem qualquer esforço e param. É claro isto também é exercício físico e para quem tem o objectivo de se manter em forma, pode ser suficiente desde que façam 4 ou 5 séries. Agora para quem quer evoluir e daqui a umas semanas, em vez de 5 estar a fazer 50 flexões, o pensamento tem que ser outro.

Temos que ter noção de que a maior parte dos limite que temos são impostos pela nossa mente, quer quando falamos em exercício físico, quer quando falamos por exemplo no tempo máximo que conseguimos estar a estudar ou a trabalhar (dormir não conta porque se o despertador não nos impuser um limite também não vai ser a mente a fazê-lo).

É aqui que entra o "Para o infinito e mais além!". O "infinito" representa os limites da nossa mente:

- Já não consigo correr mais.

- Já não aguento mais este esforço todos os dias.

- Fiz um abdominal e estou quase a desmaiar (isso foi porque te levantaste da cama e estás com aquela tontura ou com uma grande ressaca).

- O exame é amanhã e não consigo estudar mais.

- Já não consigo comer mais, estou cheio! (Deve ser uma boa sensação mas eu nunca senti)

O "mais além" representa tudo aquilo que fazemos com muito esforço além do nosso suposto limite e é este bocadinho que vai valer mais do que tudo o que fizémos para chegar até lá:

- Já tinha corrido 5 km, aparentemente não aguentava mais mas fiz um esforço e consegui corre mais um - acreditem que para evoluir na corrida e fortalecer a nossa mente, este ultimo km valeu tanto ou mais que os outros 5.

- Todos os dias são uma luta constante mas principalmente uma luta contra nós. O que não nos mata torna-nos mesmo mais fortes e vai ser esse esforço que fazemos depois do nosso limite que nos vai permitir evoluir e construir uma versão cada vez melhor de nós mesmos.

- Fizeste um abdominal para te levantares da cama de manhã e porque não fazer mais 10 ou 20? Se aos 15 não aguentares mais faz mais 3 e vais ver que no dia seguinte, até não aguentares mais já fazes 18 com mais 2 depois do limite que a tua mente te impõe.

- O exame é amanhã e não consegues estudar mais? Faz uma pausa, come qualquer coisa e vai dormir porque de certeza que vais poder repetir o exame noutra altura.

- Se és daqueles que conseguem ficar cheios quando comem, pensa que há muita gente a morrer à fome e vais ver que consegues comer mais um peito de frango com arroz branco e salada e um McMenu grande de sobremesa!

Esta conversa toda só para vos tentar mostrar que o Ser Humano se consegue adaptar a tudo e quando pensamos que não somos capazes de fazer alguma coisa, trata-se da nossa mente e dos nossos medos a pregarem-nos uma partida.

Devemos ser persistentes e teimosos quando lutamos por aquilo que queremos e em que acreditamos mas também temos que ter a capacidade de desistir e passar à frente quando vemos que algo nos faz mal e está a consumir indevidamente as nossas energias (para quem está a pensar começar a treinar não vale a pena desistir utilizando isto como desculpa porque o exercício físico faz bem. Consome as nossas energias mas principalmente as más e olhem que estas más energias também se acumulam na gordura!).

Não se esqueçam de comentar, partilhar e seguir a nossa página no Facebook bem como o meu Instagram.

Para quem tiver curiosidade deixo também a página do Facebook da minha empresa É só Pedir! que por enquanto funciona na zona de Viseu e arredores mas em breve chegará a Marte. 

Saudações proteicas!

 

 
 

Resultado de imagem para buzz lightyear
 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Comprei uma SmartBand: prós e contras

Olá a todos,
    Durante os meus treinos de corrida já costumo utilizar uma aplicação de monitorização (Sports Tracker) que mede a distância por GPS, a velocidade média e instantânea e faz também uma estimativa da quantidade de calorias gastas entrando em linha de conta com o peso, idade e altura que definimos na aplicação. Para além disso, a aplicação também permite fazer a monitorização da frequência cardíaca desde que associada a uma banda cardíaca ligada ao Smartphone através de Bluetooth. 
   Por curiosidade e também para tentar fazer treinos mais produtivos pesquisei algumas alternativas para controlar a frequência cardíaca como relógios de desporto com e sem GPS integrado, bandas cardíacas Bluetooth para ligar ao Smartphone, Smart Watches e SmartBands tendo tirado as seguintes conclusões:
As bandas cardíacas com Bluetooth são o equipamento mais preciso para medir a frequência cardíaca durante o treino mas como têm que se colocar à volta do peito considero-as um pouco descon…

Um update da minha vida!

Olá família proteica!

Não fiquem assustados porque não é nenhuma alma penada que está a escrever este post. Embora não dê notícias há algum tempo, ainda não faleci e encontro-me de boa saúde.

É só pedir!
Para quem não sabe, regressei à minha terra natal (Mangualde) no final de 2017, após 11 anos a morar em Lisboa, onde me licenciei em Medicina Nuclear e trabalhei na área da Banca durante cerca de 5 anos.

Para quem tem curiosidade em perceber melhor esta mudança repentina basta ler o post no link.

Se mudar pequenas coisas já custa, mudar completamente de vida custa ainda mais, mesmo que seja para melhor.

Sempre tive o sonho que criar o meu próprio emprego e poder um dia dar emprego a outras pessoas mas era uma ideia que estava apenas na minha cabeça de forma muito pouco concreta.

Assim que regressei comecei a procurar emprego aqui na zona de Mangualde, Viseu e arredores sempre com a ideia de que não voltaria a trabalhar em algo que me fizesse mal como me fez trabalhar durante 5 anos em …

Era uma vez uma parceira de treino chamada gripe

Olá a todos,

Sei que já há algum tempo que não dou notícias nem aqui nem na página do facebook e só tenho dado sinal de vida no Instagram.
Para além disso era suposto este post ser a continuação da série "Treinar em casa" com vídeos incluídos, mas parece que desta vez não foi a gripe que apanhou Rafael Gomes mas sim o contrário. 
Estive uns dias com febre, tosse, mal-estar geral e como tenho alguns problemas respiratórios, embora já não tenha febre, continuo com uma tosse bastante irritativa. Moral da história: há uma semana que não treino...
Se há alguma vantagem em estar doente é que se acaba por perder algum peso porque embora no meu caso não tenha perdido o apetite, perdi completamente o paladar, o que me tem tirado completamente o prazer de comer
Relativamente ao treino, eu tenho por hábito fazer duas ou três pausas por ano de cerca de uma semana porque sinto que é importante para a minha evolução, principalmente porque me permite recuperar o Sistema Nervoso Central q…